Vem aí a segunda edição do Prêmio RAs Amigas da Criança

Reconhecimento é dado em função de ações que promovam, protejam e apoiem o desenvolvimento na primeira infância

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: MÔNICA PEDROSO

 

Iniciativas simples, como um jogo de Amarelinha pintado no chão estimulam a coordenação motora das crianças | Foto: Agência Brasil

 

Pela segunda vez, está lançado o desafio: promover, proteger e apoiar o desenvolvimento da primeira infância nas regiões administrativas do Distrito Federal. As duas cidades que se saírem melhor serão reconhecidas como RA Amiga da Criança e receberão, em outubro, o prêmio vinculado ao programa Criança Feliz Brasiliense, que tem o objetivo de estimular ações voltadas ao desenvolvimento saudável da primeira infância (de zero a seis anos).

 

“Estabelecer políticas públicas em prol da primeira infância é prioridade para o Governo do Distrito Federal, sendo assim, o projeto RAs Amigas das Crianças unirá esforços em prol das nossas crianças, estamos investindo no futuro da nossa cidade. É um investimento a longo prazo que precisa ser feito hoje”, afirma Mayara Noronha Rocha, primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social.

 

O edital foi publicado nesta semana no Diário Oficial do DF (DODF). Conforme as regras, as administrações regionais podem se inscrever até 30 de março, por meio do envio de um ofício. Serão avaliadas ações de promoção, proteção, apoio e desenvolvimento realizadas nas regiões administrativas  entre novembro de 2020 e agosto de 2021.

 

Estamos investindo no futuro da nossa cidade Mayara Noronha Rocha, primeira-dama do Distrito Federal

 

A seleção será feita em duas fases. Primeiro, serão classificadas oito cidades, que serão visitadas pela comissão do prêmio para verificar as ações pessoalmente, e divididas entre pequeno porte (com menos de 50 mil habitantes) e grande porte (com mais de 50 mil habitantes). Duas, uma de cada categoria, receberão o certificado que atesta a promoção da primeira infância. Elas receberão o prêmio no Dia das Crianças, em 12 de outubro. O DF é a primeira unidade da Federação a premiar e reconhecer uma região (ou, nos Estados, um município) que trabalha pela primeira infância.

Em 2019, as RAs campeãs foram Recanto das Emas e Candangolândia | Foto: Renato Alves/Agência Brasília (arquivo)

 

Secretária-executiva do Comitê de Gestão do programa Criança Feliz Brasiliense, Fernanda Monteiro conta que esta segunda edição foi estruturada coletivamente com secretarias que fazem parte do comitê. Por isso, há olhares de educação, justiça, saúde, economia criativa, governo, esporte e lazer, desenvolvimento social, além da sociedade civil e do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA). Todos envolvidos no objetivo de promover ambientes favoráveis para o desenvolvimento da primeira infância.

 

 

“A ideia é que as cidades vivam a primeira infância de fato. Fala-se muito de políticas, diretrizes, portarias, mas queremos a população vivenciando isso e só conseguimos fazer com a parceria dos administradores”, afirma Fernanda Monteiro. De acordo com ela, 19 regiões administrativas se inscreveram na primeira edição e a expectativa é que agora aumente o número de interessados.

 

 

Propostas

O estímulo é para construir espaços, pintar o chão, fechar vias públicas em prol de ações culturais, promover o convívio da comunidade e a brincadeira de rua, implementar salas de apoio à amamentação. Esses são pontos que podem ser desenvolvidos pelos órgãos. Além disso, também são sugestões a abertura de salas de leitura, plantio de árvores para estimular ações com meio ambiente, construção de calçadas com acessibilidade nos caminhos das escolas.

 

 

“Serão selecionados aqueles que melhor se apresentarem, tiverem maior número de itens desenvolvidos com qualidade. Também é preciso implementar ou reforçar os grupos de discussão com a comunidade, para que seja possível ouvir a população”, ressalta a gestora. De acordo com ela, o prêmio traz a visão de que o Estado não é o único que precisa investir, mas toda a sociedade, com a busca de parceiros e empresários para ações que estimulem o desenvolvimento da primeira infância.

 

Atuais campeões

Na primeira edição, as duas regiões administrativas selecionadas ao título de “Amigas da Criança” foram Recanto das Emas e Candangolândia, respectivamente nas categorias de grande e pequeno porte. Elas poderão participar novamente, mas as ações realizadas no ano passado não serão consideradas para este edital.

 

 

No Recanto das Emas, o planejamento já está pronto para o segundo ano de ações do projeto. “Desde o início buscamos criar uma atmosfera para as crianças, com intervenções para atividades lúdicas, reformas de espaços voltados para a infância. Neste ano, vamos buscar novamente bons resultados e, mais do que isso, estimular o desenvolvimento das nossas crianças. Cuidar delas é cuidar do nosso futuro”, diz o administrador regioanal, Carlos Dalvan.

 

 

Administrador regional da Candangolândia, José Luiz conta que a cidade já se prepara para competir de novo. “Foi uma experiência inovadora, que nos deu prazer em trabalhar. Nós continuamos com o projeto e agora vamos ampliá-lo, levá-lo a outros pontos. Estamos em diálogo com diretores de creches e escolas”, revela. Ali, as ruas ficaram mais coloridas com pinturas lúdicas em paredes e no chão.

 

Criança Feliz Brasiliense

Criança Feliz Brasiliense foi instituído em 2019 por decreto em adesão do DF ao programa estabelecido pelo governo federal. O projeto é destinado a gestantes, crianças de até seis anos e suas famílias, que recebam benefícios de complementação de renda, além daquelas afastadas do convívio familiar em razão de aplicação de medida protetiva prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

 

 

A principal ação são visitas domiciliares e a aproximação das famílias às políticas e serviços públicos. Os visitadores passaram por capacitação para assumirem o papel de levar mecanismos e dinâmica para melhorar o vínculo entre pais e crianças, além de se atentar às vulnerabilidades dos pequenos.

Casa Civil do Distrito Federal - CACI
Palácio do Buriti,Zona Cívico-Administrativa, Praça do Buriti, Brasília – DF, CEP 70075-900.